Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

booksmoviesanddreams

booksmoviesanddreams

Livros que morrerão comigo:

"Norte e Sul" de Elizabeth Gaskell
"O monte dos Vendavais" de Emily Bronte
"Jane Eyre" de Charlotte Bronte
"Villette" de Charlotte Bronte
"A inquilina de Wildfell Hall" de Anne Bronte
"Orgulho e Preconceito" de Jane Austen
"Persuasão" de Jane Austen
"A mulher do viajante no tempo" de Audrey Niffenegger
"Em nome da memória" de Ann Brashares
"Charlotte Gray" de Sebastian Faulks
"A casa do destino" de Susana Prieto e Lea Vélez
"De mãos dadas com a perfeição" de Sofia Bragança Buchholz
"Rebecca" de Daphne Du Maurier
"O cavaleiro de Bronze" de Paulina Simons
"Enquanto estiveres aí" de Marc Levy
"O segredo de Sophia" de Susanna Kearsley

Nostalgia III: Ghost - O espírito do amor (1990)

Sandra F., 16.09.11

Tenho de me deixar disto. Tanto romance dá cabo da minha frieza mas também só prova que assim... só no ecrã. Deve ser por isso que as mulheres são tão crentes nos homens; metem-se a ver estas coisas e depois dá no que dá: desilusão total. 

 

Pois bem, esta história todos conhecem, penso. É bonita mas surreal. E temos mais uma vez o falecido Patrick Swayze que, desta vez, não dança (Ohhhhh...) a interpretar um fantasma que não abandona a sua amada enquanto não a sentir segura dos bad guys. Faz par com a original Demi Moore (a idade trouxe-lhe o artificialismo estético) que tem aqui um papel onde a consigo apreciar como actriz. E a Whoopy Goldberg? Que mulher hilariante. Podia mencionar as cenas em que a acho engraçada mas penso que são todas. E as sombras? Buuu.... que coisas assustadoras. Acho que nem vou dormir a pensar na triste (mas justa) possibilidade de isso ser verdade. E o principal vilão tem uma morte tão atroz; parecia estar a ver um filme de terror e não um romance.

 

Quanto aquela parte tão conhecida em que ambos moldam o barro, bem, pode até ser muito romântica e bonita mas para quem viu um dos filmes "Onde pára a polícia" com o Leslie Nielsen, e se lembra da cena semelhante que ele parodiou com aquela que foi mulher do Elvis Presley (não me apetece ir ao Google), não pode evitar cair na gargalhada. Pelo menos eu não consegui. E lá se foi todo o romantismo da cena. Oh well... Amanhã há mais!