Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

booksmoviesanddreams

booksmoviesanddreams

Livros que morrerão comigo:

"Norte e Sul" de Elizabeth Gaskell
"O monte dos Vendavais" de Emily Bronte
"Jane Eyre" de Charlotte Bronte
"Villette" de Charlotte Bronte
"A inquilina de Wildfell Hall" de Anne Bronte
"Orgulho e Preconceito" de Jane Austen
"Persuasão" de Jane Austen
"A mulher do viajante no tempo" de Audrey Niffenegger
"Em nome da memória" de Ann Brashares
"Charlotte Gray" de Sebastian Faulks
"A casa do destino" de Susana Prieto e Lea Vélez
"De mãos dadas com a perfeição" de Sofia Bragança Buchholz
"Rebecca" de Daphne Du Maurier
"O cavaleiro de Bronze" de Paulina Simons
"Enquanto estiveres aí" de Marc Levy
"O segredo de Sophia" de Susanna Kearsley

Little Dorrit (2008)

Sandra F., 19.10.11

Um conselho: Não deixem de ver esta série baseada na obra de Charles Dickens. É maravilhosa. Tem uma duração de oito horas, separadas em vários episódios, mas vale a pena. Eu, se pudesse, tinha-a visto de uma assentada só. 

A série foi emitida pela BBC One, começando com um episódio de 60 minutos, seguida de 12 partes de cerca de meia hora cada e terminando com um episódio final de 60 minutos. Dela fazem parte actores ingleses fabulosos, começando por Matthew Macfadyen, Clare Foy, Alun Armstrong, Judy Parfitt, Tom Courtenay, Eddie Marsan, Sue Johnston, entre muitos outros. Foi premiada com vários prémios, entre os quais o de melhor série.

Little Dorrit é um  drama de época que conta a história de Amy Dorrit (Clare Foy), uma jovem que passa os dias trabalhando para ganhar dinheiro para a família e cuidando de seu  orgulhoso pai, que é um preso de longa data de Marshalsea, a prisão dos devedores, em Londres. Subitamente, o mundo de Amy e da sua família transforma-se quando o filho do seu patrão, Arthur Clennam (Matthew Macfadyen), retorna do exterior para resolver legados misteriosos da sua família e descobre que as suas vidas estão interligadas de uma forma bastante misteriosa.

Nesta obra, Charles Dickens quis expôr a sua ideia de que dinheiro e  riqueza não significam necessariamente felicidade e conforto. Os personagens Amy Dorrit e Arthur Clennam são basicamente bons, compassivos, pessoas que se preocupam mais com o conforto dos seus amigos e com o seu dever para com os outros; riqueza e status não são importantes. Arthur poderia tomar conta do negócio do falecido pai e tornar-se rico, mas encontra-se muito perturbado com um segredo de família que pode dificultar esse caminho. Amy Dorrit encontra contentamento numa prisão, onde o pai se encontra preso (estes presos levavam as famílias consigo), cercada pela família e a fazer boas acções. Quando ela se vê rica, perde as coisas importantes da vida e não fica satisfeita.

Mas o mais atractivo nesta série é a relação entre Amy e Arthur. Ela apaixona-se quase instantaneamente por ele, mas ele vê-a apenas como uma irmã mais nova dadas as circunstâncias da história. Ambos têm cenas muito bonitas, algumas bastante dolorosas para Amy. No entanto, só quando John, um apaixonado de Amy, revela a Arthur que ela o ama é que as coisas mudam. E a reunião entre os dois na prisão de Marshalsea é muito bonita.

Obrigatório ver!!