03
Set 12

"I promise, I'll come back for you. I promise, I'll never leave you."

Count Lázló de Almási para Katherine Cliffton

É uma vergonha, eu sei! Eu, uma apaixonada por cinema desde há muito tempo, nunca ter visto este filme. Se me batessem, eu acharia justo!

 

Ponho-me a pensar porque nunca o vi e, entre indisponibilidades várias na altura em que foi lançado em Portugal, ocorre-me a principal razão porque nunca mais tive curiosidade para o ver. Eu sou uma romântica. Ou melhor, não sou mas gosto de filmes com romance e drama e no fundo, por muito que eu diga que gosto de um final original, sem o usual happly ever after, a coisa perde um pouco o interesse quando isso acontece. Muito mais, quando já sabemos desde o início do filme como tudo vai terminar.

 

O Paciente Inglês (The english patient, no original de 1996) é lindo! Eu não gosto muito de usar este adjectivo. Mas aqui tenho de o fazer, sem receios nem hesitações. Recebeu nove óscares da academia em 1997, incluindo o de melhor filme, melhor realizador (Anthony Minguella) e melhor actriz secundária (Juliette Binoche). Mas isso nada quer dizer, apenas vem provar que a crítica e outras pessoas também apreciaram o filme. 

Para quem não conhece, O Paciente Inglês conta uma história inesquecível passada durante a segunda guerra mundial. Logo no início do filme, assistimos ao abater de um pequeno avião, sobre o deserto do Sahara, que leva uma mulher e um homem. O homem é visivelmente atingido pelas chamas ao mesmo tempo que aparentemente tenta salvar a mulher. Depois vêmo-lo muito queimado na parte superior do corpo a ser cuidado por homens muçulmanos e, logo depois, já com as feridas cicatrizadas mas muito desfigurado, a ser cuidado por soldados britânicos, especialmente por Hana (Juliette Binoche), uma enfermeira muito dinâmica e muito humana. Esse homem é o Conde László de Almásy (interpretado por Ralph Fiennes) e ao vê-lo ser constantemente martirizado com mudanças desnecessárias e algo deprimida por ter perdido algumas pessoas importantes para si nos conflitos, Hana decide ficar numa velha igreja abandonada que encontram. Aí dedica-se a cuidar do seu paciente e simultaneamente ele vai contando a sua história e ficámos então a conhecer a sua identidade, a identidade da mulher no avião, o que os levava a sobrevoar o deserto naquela altura e o seu passado.

 

E por aí adiante. Só vendo mesmo. Uma verdadeira história de paixão, de intriga, aventura mas também uma história triste e dramática. A contracapa do dvd que tenho comigo diz que é "um filme de grande fulgor romântico,... um poderoso triunfo cinematográfico que vai recordar como um dos melhores filmes de sempre". E eu acredito que sim e revejo-me totalmente nessa opinião.

 

O filme é baseado na obra de Michael Ondaatje (1992) com o mesmo nome. Um livro que lerei, com toda a certeza.

 

E não posso deixar de comentar que gostei muito da escolha dos actores principais. O Ralph Fiennes é um dos meus actores favoritos desde que o vi no Wuthering Heights de 1992 (o mais perfeito Heathcliff que já vi!) acompanhado também da actriz Juliette Binoche que interpretou Cathy Hearnshaw/Linton. Voltaram a encontrar-se aqui, no Paciente Inglês, não como par romântico, mas absolutamente incríveis nos seus papéis. (E a falar nisso: porque não deram um óscar ao Ralph Fiennes pela interpretação do Conde László de Almásy?) No entanto, o filme conta ainda com as interpretações de Kristin Scott-Thomas, Willem Dafoe, Naveen Andrews e Colin Firth, este último acabadinho de sair das filmagens de Pride and Prejudice da BBC em 1995. 

 
"My darling. I'm waiting for you. How long is the day in the dark? Or a week? The fire is gone, and I'm horribly cold. I really should drag myself outside but then there'd be the sun. I'm afraid I waste the light on the paintings, not writing these words. We die. We die rich with lovers and tribes, tastes we have swallowed, bodies we've entered and swum up like rivers. Fears we've hidden in - like this wretched cave. I want all this marked on my body. Where the real countries are. Not boundaries drawn on maps with the names of powerful men. I know you'll come carry me out to the Palace of Winds. That's what I've wanted: to walk in such a place with you. With friends, on an earth without maps. The lamp has gone out and I'm writing in the darkness." 
Written Katherine's words to Almási before she dies
publicado por Sandra F. às 23:59

Nada de vergonhas Sandra! Eu tb só vi há uns três anos :)
De resto, julgo que se o visse qd saiu ou mais cedo possivelmente não o iria apreciar. a primeira vez que me pus a ver aborreci-me pq não estava a consequir seguir a história, além de ter ficado cheia de sono e acabei por desligar a televisão.
Vera a 4 de Setembro de 2012 às 11:16

Pelo menos, Vera, sofremos a vergonha juntas então.
É tão lindo! Como é possível que alguém ache aquela história desinteressante? Isso só nos diz que, na nossa vida, há talvez um tempo para tudo.
Sandra F. a 4 de Setembro de 2012 às 22:11

Sandra,

O filme é mesmo muito bonito. Gostei do teu post e especilamente da forma como o finalizas. Lindo!

Beijinhos,

Paula
Paula a 4 de Setembro de 2012 às 23:29

Paula,

O final é lindíssimo mas muito triste. Partiu-se-me o coração quando o vi sair da gruta com ela ao colo, morta, e a chorar desalmadamente, ao mesmo tempo que se ouviam as últimas palavras dela. :-)

Lindo! Lindo!
Sandra F. a 4 de Setembro de 2012 às 23:51

Concordo inteiramente, Sandra.
Paula a 5 de Setembro de 2012 às 22:55

This movie worth to watch ... my impression about this movie was that love was not shown very deep , love is not only starting to have sex. they should exchange more feelings , emotions and other beautiful signatures of love . So in this aspect I believe that the movie was weak . that guy ( I think almasy ) had a gray character and were not processes well . at the end I as a spectator could not infer about him well . maybe intentionally is process like that . Also I didnt underestand the relation of that nurse and that indian guy . it seemed that indian guy suddenly changed after his first surprise . however overall I can rate this movie as 7/10.

looking forward to your new posts
Hadi a 6 de Setembro de 2012 às 19:00

Thank you for your lovely opinion, Hadi. The movie it's not perfect, of course. It is based on a big book which I haven't read yet. Perhaps, the story on thr book is more explicit in the things you refer. In movies, time is controlled. So, We should go and read the book.

Looking foward to your visits.
Sandra F. a 6 de Setembro de 2012 às 21:01

Olá Sandra,

Eu vi o filme na altura em que foi oscarizado e sou uma grande fã dele. Tenho uma ligação pessoal com ele, digamos assim :) Fica já a dica para leres realmente o livro. No meu caso, foi das raríssimas vezes em que achei o filme bem mais interessante do que o livro.

Beijoca!

Cátia
a dona do chá a 2 de Outubro de 2012 às 18:31

Obrigada, Cátia!
Assim não fico com grande vontade de ler o livro... para mais tendo tantos em lista de espera. Quem sabe um dia....
Beijo.
Sandra F. a 2 de Outubro de 2012 às 20:24

Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29



comentários recentes
Eu quero o livro, por favor
Olá! Amei seus comentários sobre as series, muitas...
Ola Sandra ...adorei seus comentários vi...revi......
Ol, Sandra. Poderias enviar o pdf do livro para m,...
Um filme de tirar o folego!! Gostaria muito de l...
O meu e mail éjulioli3092@gmail.com Obrigada outra...
Oi. Adorei a série e estou apaixonada pelos person...
Alguém tem em pdf?
Pode enviar-me o ebook?
OI pessoal. Tambem adorei a serie. Fui a uma livr...
RSS
mais sobre mim
pesquisar
 
Desafio 2014

2014 Reading Challenge

2014 Reading Challenge
Sandra has read 0 books toward her goal of 60 books.
hide
Livros que morrerão comigo:
"Norte e Sul" de Elizabeth Gaskell
"O monte dos Vendavais" de Emily Bronte
"Jane Eyre" de Charlotte Bronte
"Villette" de Charlotte Bronte
"A inquilina de Wildfell Hall" de Anne Bronte
"Orgulho e Preconceito" de Jane Austen
"Persuasão" de Jane Austen
"A mulher do viajante no tempo" de Audrey Niffenegger
"Em nome da memória" de Ann Brashares
"Charlotte Gray" de Sebastian Faulks
"A casa do destino" de Susana Prieto e Lea Vélez
"De mãos dadas com a perfeição" de Sofia Bragança Buchholz
"Rebecca" de Daphne Du Maurier
"O cavaleiro de Bronze" de Paulina Simons
"Enquanto estiveres aí" de Marc Levy
"O segredo de Sophia" de Susanna Kearsley
Filmes Preferidos
'Jane Eyre' Cary Fukunaga (2011) com Mia Wasikowska e Michael Fassbender
'A mulher do viajante do tempo' Robert Schwentke (2009) com Eric Bana e Rachel McAdams
'A casa da Lagoa' Alejandro Agresti (2006) com Keannu Reeves e Sandra Bullock
'Orgulho e Preconceito' Joe Wright (2005) com Keira Knightley e Matthew Macfadyen
'The Holiday' Nancy Meyers (2006) com Cameron Diaz, Kate Winslet, Jude Law, Jack Black
'O diário da nossa paixão' Nick Cassavetes (2005) com Ryan Gosling e Rachel McAdams
'O fantasma da ópera' Joel Schumacher (2004) com Emmy Rossum e Gerard Butler
'O poder dos Sentidos' Tom Shadyac (2002) com Kevin Costner
'Doce Novembro' Pat O'Connor (2001) com Keannu Reeves e Charlize Theron
'O senhor dos Anéis' Peter Jackson (trilogia)
'Amar em Nova York' Joan Chen (2000) com Richard Gere e Winona Rider
'Notting Hill' Roger Michell (1999) com Hugh Grant e Julia Roberts
'A cidade dos Anjos' Brad Silberling (1999) com Nicholas Cage e Meg Ryan
'Monte dos Vendavais' Peter Kosminsky (1992) com Juliette Binoche e Ralph Fiennes
Este blog não adoPta o acordo ortográfico.
IMAGENS: As imagens contidas neste Blog foram todas retiradas da internet. Se alguma dessas imagens for de sua autoria, por favor entre em contato para que eu possa creditá-la ou mesmo retirá-la do meu blog.
VÍDEOS: Os vídeos são do domínio público e foram todos retirados da internet. Se algum estiver irregularmente publicado, solicito que entrem em contato para as devidas providências.
blogs SAPO