Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

booksmoviesanddreams

booksmoviesanddreams

Livros que morrerão comigo:

"Norte e Sul" de Elizabeth Gaskell
"O monte dos Vendavais" de Emily Bronte
"Jane Eyre" de Charlotte Bronte
"Villette" de Charlotte Bronte
"A inquilina de Wildfell Hall" de Anne Bronte
"Orgulho e Preconceito" de Jane Austen
"Persuasão" de Jane Austen
"A mulher do viajante no tempo" de Audrey Niffenegger
"Em nome da memória" de Ann Brashares
"Charlotte Gray" de Sebastian Faulks
"A casa do destino" de Susana Prieto e Lea Vélez
"De mãos dadas com a perfeição" de Sofia Bragança Buchholz
"Rebecca" de Daphne Du Maurier
"O cavaleiro de Bronze" de Paulina Simons
"Enquanto estiveres aí" de Marc Levy
"O segredo de Sophia" de Susanna Kearsley

I capture the Castle

Sandra F., 29.07.11
"Tudo parece estar em pedaços e o meu coração está magoado. Ainda assim, é melhor estar magoado do que nunca ter sentido a dor ou aprendido com os erros. Só falta escrever a última página. Fá-lo-ei com palavras curtas:
...Eu amo...
...eu amei...
...eu amarei..."
 
Palavras de uma jovem de dezoito anos que pela primeira vez vê o seu coração despedaçado por um amor não inteiramente correspondido mas que mantém a esperança no futuro, num novo amor, alimentando a crença de que a vida não acaba só porque se perdeu 'aquela pessoa', aquela primeira pessoa. 
                                                         
 
O livro "I capture the castle" (1948) de Dodie Smith (autora dos 101 dálmatas) é retratado nesta versão da BBC de 2003. Tal como o livro, o filme segue a jovem Cassandra Mortmain (Romola Garai) e a sua excêntrica família que luta para sobreviver num castelo inglês decadente durante os anos 30 do século vinte. O pai James Mortmain (Bill Nighy) é um escritor que não escreve nada desde o grande sucesso do seu primeiro romance, doze anos atrás; a sua requintada irmã Rose (Rose Byrne) só se sabe queixar da sua triste sina de pobreza; a sua madrasta Topaz (Tara Fitzgerald) é uma nudista boémia que não ajuda em nada e finalmente temos o seu irmão Thomas, um adolescente inteligente e astucioso. A narradora principal é a própria Cassandra Mortmain (Romola Garai) que nos conta a história através do seu diário.
 
A salvação para toda esta situação aparece sob a forma do proprietário americano do castelo, Simon Cotton (Henry Thomas) e seu irmão Neil (Marc Blucas). Embora Simon inicialmente não se interesse por Rose, ela está determinada em fazê-lo apaixonar-se por ela e é finalmente bem-sucedida. Um casamento é arranjado e Cassandra é deixado à margem bem como todos ao seu redor, enquanto que é desenhado um redemoinho de relacionamentos interconectados, que conduzem Cassandra à experimentação do seu frustrado desejo, primeiro amor e um coração partido.
 
Apesar de pouco conhecido, pelo menos aqui em Portugal, este filme conta com vários actores conhecidos. Romola Garai, a "Emma" da versão de 2009 do clássico de Jane Austen; Rose Byrne (vi-a recentemente no thriller americano "Insidious" e ainda no filme "X-Men: o início"), Henry Cavill o atraente Charles Brandon, Duque de Suffolk nos "Tudors", Sinead Cusack que interpretou Mrs Thornton em "North And South" (2004) e Tara Fitzgerald que fez o papel de Helen Graham na versão televisiva (1996) do clássico de Anne Bronte "The tenant of Wildfell Hall". Num papel muito pequeno, mas bem reconhecível, temos o actor David Bamber que interpretou o Mr Collins da versão televisiva de "Pride and Prejudice" de 1995.
 
 
  

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.